Maria Stefanon: "A arte nos torna mais humanos. Ela nos faz ver o invisível, sentir o que não é


Desenho, pintura e poesia estão entre as grandes paixões de Maria Stefanon. Aliás, o gosto pela Arte sempre acompanhou essa artista capixaba que nunca se viu fazendo outra coisa que não tivesse relação com ela. Combinando personalidade forte com um jeito meigo de ser, essa artista e professora de Artes ostenta uma produção intensa, dedicada, coleciona diversas exposições, alguns prêmios e também tem seu trabalho fazendo parte de acervos.

Tivemos a honra de conversar e conhecer um pouco mais essa artista cheia de energia criativa que nos contou um pouco sobre sua carreira, seus desafios, sobre como tem sido criar em tempos de pandemia, sobre o papel do artista na sociedade e muito mais. Confira abaixo!

Quem é Maria Stefanon? Para aqueles que ainda não te conhecem, como você se descreveria? Fale um pouco de sua personalidade, dos seus gostos

Eu diria que sou a somatória de todas as minhas vivencias e experiencias: minha família, meu trabalho, meus posicionamentos perante os acontecimentos que me rodeiam e que encontrou na arte uma forma de ler e reler o mundo q me cerca. Divido-me entre meu trabalho de ateliê e meu trabalho como professora de artes. Durante muito tempo mantive alunos em meu ateliê mas ultimamente tenho optado por manter meu ateliê somente para meu processo de trabalho.. Gosto de socializar, mas diria que aprecio muito os momentos comigo mesma. Venho de uma família grande e como neta de italianos amo o convívio familiar, por isto, nas horas vagas como moro em uma chácara, cuido das minhas plantas , aprecio a companhia de minha família e de meus cachorros ou tomo um bom vinho.

Nos conte um pouco sobre como a arte entrou em sua vida ou como você entrou para a Artes.

Sou artista por formação, pela UFES fiz Artes Plásticas e anos depois me formei em Artes Visuais, mas antes de mais nada sou artista de alma e coração, nunca me vi fazendo outra coisa que não tivesse relação com a arte. Quando criança gostava de pintar, desenhar, fazer poesia... no secundário como não haviam cursos específicos de arte em minha cidade acabei fazendo desenho arquitetônico, o que rapidamente descobri não ser a minha praia.. Rsrrs Resolvi então fazer vestibular para Artes Plásticas e foi onde me encontrei.

O que é arte para você?

Eu sempre digo que a arte, e o artista consequentemente, são como uma antena que captam o mundo e muitas vezes adiantam o que está por vir. A arte nos torna mais humanos. Ela nos faz ver o invisível, sentir o que não é tangível.

Porque escolheu a pintura como forma de se expressar? Fale um pouco sobre seus mestres, suas influencias e inspirações.

Quando entrei na universidade tive contato com várias práticas artísticas: escultura, joalheria, cerâmica, fotografia, mosaico, desenho, e pintura. Em alguns desses, como fotografia e joalheria por exemplo, me identifiquei bastante e ao terminar meu curso cheguei a trabalhar um período com fotografia, que me fascinava bastante, mas foi a pintura que me tocou, pela expressividade da cor e da forma.

Gosto da plasticidade das tintas, de senti-las correndo pelo pincel, da mistura e dos encontros. Utilizo o desenho no meu trabalho sempre acompanhado da cor. Quanto aos meus mestres e influências, tenho admiração por grandes artistas, não falarei de todos mas alguns me marcaram: Edelson Caetano (in memorian) grande artista e companheiro de uma jornada de quase 20 anos que deu exemplo de ética e persistência na arte, Rosindo Torres com sua dialética e trabalho impecável, Carlos Fajardo com sua técnica com quem fiz curso no início de minha formação. Dentre as minhas inspirações estão Frida Kahlo , Van Gogh, Yayoi Kusama , Munch, Max Ernest, Ismael Neri .

Em que consiste seu trabalho hoje?

Venho desenvolvendo uma pesquisa de trabalho com ninhos de pássaros, recolhendo a algum tempo ninhos que caem das arvores e quero estabelecer uma relação de afeto e memória com o mundo em que vivemos: Nossas relações familiares e a similaridade com esses ninhos e suas histórias. Continuo pintando minha série que chamo de paisagens imaginárias onde crio paisagens e ambientes in_existentes .

Como a pandemia e a questão do isolamento social estão afetando o seu processo criatividade?

Bom, eu moro em uma chácara então não me sinto presa de forma alguma, nunca fui de sair muito, a não ser por questões de trabalho ou viagem. Meu processo de trabalho não mudou, continuo produzindo, mas certamente tenho tido que lidar com a ansiedade e tristeza pelas vidas perdidas nesta pandemia e a incerteza em relação à quando isso tudo vai acabar,. Estou aprendendo a me comunicar por lives com amigos e artistas o que é sem dúvida uma novidade para mim.

Quais vc diria que foram ou ainda são seus grandes desafios para trabalhar e viver de arte?

Considero que é realmente um desafio viver exclusivamente de arte no Brasil, por isto produzir arte para mim sempre passou primeiro pela questão do prazer e da necessidade interna. Acredito que a internet facilitou bastante a divulgação e comercialização para os artistas, e é um mercado que estou aprendendo a utilizar. Sempre tive e desenvolvi atividades paralelas, mas hoje posso dizer que tenho começado a ter um retorno financeiro, o que ainda não me permite abandonar meus outros afazeres.

Considerando a sua trajetória profissional até o momento atual, quais vc diria são as características ou atributos fundamentais que um artista precisa desenvolver para seguir uma carreira dentro das artes?

Acredito que é importante a seriedade e compromisso com seu trabalho, pesquisar sempre, buscar aprimorar não só a técnica como também o seu discurso, ou seja, entender as razoes pelas quais vc produz e para que.

Que conselhos ou dicas vc daria para alguém que está apenas começando a dar os primeiros passos no mundo da arte?

Trabalhe incessantemente, seja honesto consigo mesmo, busque entender as razões pelas quais você produz a sua arte, leia bastante e não desista. E como diria Rainer Maria Rilke, "uma obra de arte só é boa quando nasce por necessidade".

Onde mais você quer chegar? Nos conte mais sobre sus planos, sonhos ou projetos.

Quero expandir meu trabalho para outros lugares, outros países, expor mais, realizar parcerias com artistas e galerias aqui e fora do Brasil.

Enfim... quem sabe um dia, viver única e exclusivamente da minha arte... sonho bom, não é mesmo?

Para conhecer mais trabalhos da artista visite aqui

Novidades
Posts recentes
Visite nossa página:
  • Facebook Long Shadow

© 2023 by Artista Criativo