Junior Santti: "para quem não me conhece pode parecer tudo muito distante e megalomaníaco, mas...



Você já ouviu falar de Junior Santti? Se não ouviu... ainda irá ouvir muito! Sabe aquela combinação fantástica de energia, simpatia, criatividade e talento que resulta em uma explosão artística? Sabe aquele tipo de artista que absolutamente tudo o que faz, faz extremamente bem? Assim é Junior Santti, artista ainda bem jovem mas com muita bagagem e experiência artistica!


A DOMI Galeria de Arte Online conseguiu que o artista os recebesse para uma conversa deliciosa e inspiradora. Confira abaixo!

Falar de nós mesmos nunca é muito fácil, não é mesmo? Mas como vc se descreveria para alguém que ainda não te conhece, como pessoa e como artista (se é que é possível separar essas duas coisas)?


Bom, de fato, falar de você mesmo não é nada fácil, requer um equilíbrio pois, posso parecer muito modesto ou muito arrogante dependendo como eu me enxergo, vou tentar ser o mais sincero possível.

Eu gostaria de sentar diante de mim mesmo, para ouvir o que eu tenho para falar a respeito da minha própria pessoa, seria mais fácil. Mas imaginando essa conversa talvez eu ouviria que sou uma pessoa apaixonada e sincera. Sincero por ser transparente, sem amarras, e sem máscaras. Eu não suporto fantasias, e quando digo fantasias, estou falando desse teatro social, que é extremente difícil de fugir - e eu me enquadro nisso, obviamente - porém acredito que ser verdadeiro com as pessoas, sincero com seus sentimentos, e principalmente, transparente consigo mesmo, é o segredo de uma vida melhor, com pessoais também verdadeiras na sua vida. Eu disse também "uma pessoa apaixonada" Apaixonada por momentos, apaixonada por pessoas (as que levo pra vida), apaixonado por histórias - que esses momentos, e que essas pessoas me proporcionam. E é ai que entra minha arte. Ainda não sei com clareza se o Junior pessoa, é diferente do Junior artista, até porque minha arte é um reflexo de quem eu sou, e de como vivo. Até hoje minha arte foi uma expansão do Junior pessoa, quem olha minha arte, quem enxerga minha obra, está enxergando minha alma. Minha primeira expo individual que aconteceu na Exílio Galeria em São Paulo, no Jardins, é um exemplo disso. Psicossomático foi minha primeira exibição, e as obras falam de um processo de cura que passei, de problemas pessoais, internos, de um fase cinza, que transformei em arte. Talvez eu possa ressignificar a introdução dessa resposta. Eu gostaria de me sentar diante de alguém que não me conhece para que ela pudesse ouvir mais sobre mim, e sobre quem sou. Seja o eu artista ou o eu pessoa.

Sabemos que essa é uma definição muito difícil, mas o que é Arte para você?


O que é arte para mim? Uma pergunta tão simples, nunca foi tão complexa. Perguntar: O que é Arte? É o mesmo que perguntar o que é a vida. Nunca haverá uma definição única. Mas sempre há uma interpretação individual. E comigo não é diferente. Durante toda minha vida - ainda curta - a definição de arte sempre mudou. Mas hoje, Arte é a forma de ressignificar a vida através do belo. Seja o som, seja a imagem, seja a tinta. O artista ele ressiginifica situações, ele pega sua visão de mundo, e traduz o que seria indizível, o que seria impossível de falar, de gritar, então ele usa a poesia, o som, a imagem-movimento, e leva até as pessoas. A Arte ela toca a alma daquele que entra em contato com ela, isso é poderoso. Então creio que é isso, pelo menos pra mim.

"A Arte é forma de ressignificar a vida através do belo"

Como a Arte entrou em sua vida ou como vc iniciou nesse caminho das Artes?


Eu amo contar essa história. Segundo minha avó, aos cinco aninhos eu era uma criança hiperativa. E como ela me criou sozinha, precisava encontrar uma maneira de me "controlar" para não acontecer nenhum acidente (risos) Então ela comprou um kit de desenho e me deu. Foi amor a primeira vista. Eu tenho apenas flashs de memória dessa época, porém o que ela fala, é que eu fiquei obcecado, não largava o tal kit de jeito nenhum, e quando as folhas acabaram eu não esperei ela comprar outro, eu rabiscava as paredes, ela conta que todo lugar da casa havia desenhos. Eu não podia ver um espaço em branco, que aquilo durava pouco. Não demorou para que eu desenvolvesse algumas habilidades e chamasse a atenção nas escolas e professores com quem estudei, cheguei a vencer concursos estaduais escolares com foco em desenho uns quatro anos seguidos.


Não quero ser muito longo nas respostas, mas o meu caminho nas artes é bem ampla, porque eu experiênciei muitas áreas diferentes - por isso me considero um artista multimidia com foco nas artes visuais. Ainda muito jovem com sete anos eu me apaixonei por dança de rua e levei isso muito a sério, participava de rodas de dança, campeonatos e isso me levou a criar fortalecer outra paixão. O cinema. Eu era uma criança solitária, por ter uma criação rígida, então não brincava muito na rua, assim meu entretenimento favorito foi desenhar e ver filmes. E com a dança nasceu a vontade fazer vídeos, e assim a vontade fazer filmes. Comecei junto com um amigo, ainda entrando na adolescência, a elaborar e criar vídeos artísticos de dança, baseado nos filmes e musicais que gostávamos, criamos vários e vários vídeos, numa época em que subir vídeo no youtube, produzidos como o nosso e de forma independente, ainda era raro, e estou falando em 2009. Em paralelo, pintando telas e desenhando quadrinhos por pura diversão.


Dois desses curtas-metragens de dança chegaram a viralizar na internet no ano de 2012, numa época que bater 100.000 visualizações era um feito e tanto. Mas não posso deixar de falar na música e como isso me trouxe onde estou. Com 13 anos comecei a tocar bateria na igreja, resumindo, foi uma grande experiência, estudei por anos, formei bandas, fiz shows em centenas de cidades, conheci pessoas incríveis, e desenhava capas de discos para bandas que eu conhecia no caminho e divulgava na internet, foi quando um diretor de cinema viu esse trabalhos, e me fez um convite: "Venha desenhar os storyboards do meu novo filme" E claro que fui, eu vi aí, a minha entrada para o cinema se realizar. Realizei os trabalhos e com esse mesmo diretor, realizei o sonho de estar em um filme exibido nas salas de cinema. E eu estava convicto que era isso que eu queria pra vida.


Eu tive uma epifania no meio desses trabalhos, e notei que minha vocação, era contar histórias, independente da forma, e da ferramente, eu só queria mostrar para as pessoas o que eu tinha pra falar. O cinema me ensinou a fazer isso com imagem e som, então resolvi de vez que iria fazer uma história em quadrinhos. O ano era 2014 eu tinha 19 anos, e criei minha primeira HQ um one shot chamada "A Quinta essência" e bastou algumas páginas fazerem sucesso nas redes sociais e sites de quadrinhos, que assim eu consegui meus primeiros trabalhos remunerados na área. Em 2018 lancei minha primeira HQ autoral "A Rua da Luz vermelha" em 2019 a segunda "Eu te vejo " e as coisas foram acontecendo até que em 2020 em plena pandemia algo mudou. Eu enfrentei alguns problemas pessoais, e isso levou minha vida a uma fase cinza, e assim eu resolvi expressar isso em telas, em pinturas, nascia a série "PSICOSSOMÁTICO" onde eu pintei sentimentos como depressão, ansiedade, transtorno bipolar (essa inspirada numa música de um amigo). Houve um BOOM! Essa série talvez mexeu com o íntimo de muitas pessoas, e fez muito sucesso quando divulguei, chegando a bater milhões de compartiilhamentos em sites como reddit e facebook, e minha carreira mudou. No mesmo ano fui convidado para participar de coletivos na Grécia e nos Estados Unidos.

SLB Gallery em Athenas e Aeon Galley nos EUA. Fechei contratos com escritores norte-americanos para ilustrar livros, e quadrinhos e fiz várias e várias capas de discos e mais livros. E ainda em 2021, em dezembro, realizei minha primeira expo individual, a já dita PSICOSSOMÁTICO na Exílio Galeria em São Paulo. Já está programado se tudo der certo, eu fui convidado para expor a série na Alemanha pela Urban Five Gallery. Junto com a galerista da Exílio de São Paulo, já está programado uma nova expo no Petra Belas Artes. Mas não posso deixar de citar a maior surpresa no início desse ano, que foi um convite para expor no Museu do Louvre em Paris, no projeto Carrossel do Louvre. Eu tenho muito orgulho da minha carreira, sempre busquei total autonomia no que faço, entender cada vez mais a minha área, e sou muito grato, me sinto privilegiado de ter conquistado tanto sendo um artista 100% independente, e hoje estou aqui, concebendo essa entrevista, contando minha história.

Por que escolheu a Arte como forma de se expressar? Fale um pouco sobre suas influências, seus mestres, suas inspirações


Eu não escolhi a arte, a arte me escolheu. Então foi um processo natural pra mim, quando me dei conta já dizia que seria artista, independente de qual área fosse. A arte visual, ela sempre teve uma força maior na minha vida. Eu gosto muito da autonomia no trabalho, e pintar, desenhar, ilustrar - por mais que seja um trabalho mais solitário - é um lugar onde me sinto "rei" sabe? É onde me expresso da maneira mais pura possível, eu posso criar do zero, desde as formas, as camadas, as linhas, é um universo que sai de dentro da sua cabeça, aquilo que estão olhando, saiu de dentro de você. Estou mostrando para outras pessoas, o que eu imaginei, e dei vida. É maravilhoso. Seja ressignificando o já existente, ou simplesmente criando algo "do nada" Ressignificar a vida através do seu olhar único, é dar a chance das pessoas verem um universo particular, uma interpretação da existência conforme você. Eu não poderia fazer outra coisa da minha vida, se não fosse arte.


Eu costumo falar que Influência é diferente de inspiração. Influenciar requer uma responsabilidade muito grande daquele que se diz influenciador, pois você pode literalmente mudar a vida de alguém, seja pro lado bom ou ruim. Então sempre costumo dizer que as minhas inflências foram minha avó, meu pai, meus professores. Pessoas essas, que me ajudaram a escolher o melhor caminho, tiveram suas influências sobre mim. E isso é muito poderoso.

Inspirações. Eu gosto dessa palavra. Tenho várias inspirações, vários mestres da arte, vários mentores. Mas muitos se assutam quando eu digo que a maioria dos artistas que me inspiram, não vem das artes visuais...eu tenho muitos artistas que me causa admiração, vários deles vem do cinema e da música. Não posso negar Van Gogh, Gustav Klimt, Dalí, Egon Schiele, Edvard Munch, Veermer, Bosch, Picasso, Basquiat, Portinari, Tarsila...os contemporâneos Takashi Murakami, o austríaco Gottfriend Helnwein, eu posso ficar o dia todo falando de pintores que saltam os olhos. Porém, todavia, entretanto...artistas como Prince, Michael Jackson, cineastas como Scorese, Aronofksy, o chinês Wong Kar-Wai, o japoneses Akira Korusawa, Satoshi Kon, Hayao Miyazaki, esses são só alguns nomes de artistas e mestres naquilo que faziam, que me inspiram de maneira absurda, quando eu consumo as obras desses gênios, minha vontade é pegar o pincel e criar. Mas devem estar se perguntando, o que eles tem em comum que te inspira? É simples, todos eles, TODOS tem uma coisa em comum: Eles foram, e são os melhores no que fazem! E é isso que eu quero. Ser o melhor no que faço.


"Estude os mestres e tente superá-los" Essa frase pode parecer bem pretensiosa - senão absurda - mas quando eu ouvi, ela fez todo sentido. Mesmo que você não supere seus mentores, você pode pelo menos tentar, isso já fará de você um profissional extremamente competente.

Em que consiste seu trabalho hoje?


Contar histórias! Histórias moldaram e moldam uma sociedade. Tudo que aprendemos, é de certa forma ouvindo histórias. O ato de contar uma história, vai além do lúdico, elas ampliam nossa imaginação, ajuda organizar a fala, criar coesão, nos pensamentos e tudo mais. Talvez é por isso que eu amo criar séries nas pinturas, fazer quadrinhos também, porque eu estou contando uma histótia, há uma narrativa, há um personagem ali, sabe? EU AMO ISSO. É a principal ferramente da minha arte hoje. Agora o estilo, a forma que pinto, tem um viés dramático, e expressionista. Eu amo como a luz e a sombra formam os objetos, os cenários, os personagens, a ambientação, o clima...traz movimento, traz sensações, aplico muita textura, pq eu gosto de ver a tinta, a pincelada. Minha arte começou bem abstrata de certa forma, mas ela está cada vez mais moldada em tudo isso que acabei de dizer. Tudo isso está atrelado na minha pesquisa atual. Estou lendo sobre como o cinema e a música influênciaram em causas sociais e como isso se reflete nos dias de hoje, como as máscaras moldam esse "teatro sociológico"

Minha próxima série vai falar exatamente sobre tudo isso.

Quais vc diria que foram ou ainda são seus grandes desafios para trabalhar e viver de Arte aqui no Brasil?


São vários, vários. O mercado artístico no Brasil, é muito desbalanciado. Enquanto algumas indústrias são extremamente poderosas, outras engatinham pra não dizer que estão respirando por tubos de oxigênio. A música mesmo é um exemplo, se há um mercado forte para o pop, sertanejo e até o funk, outros estilos até mais tradicionais como samba e mpb não tem a mesma força ou não tem mais (a não ser que vc seja consolidado) Isso se enquadra também no cinema, e nas artes visuais que é a minha área. Grandes galerias de apelo popular que alcança o grande público, são poucas. Vejo muitos artistas investindo fora, porque o retorno financeiro aqui no Brasil não é tão satisfatório visto o esforço e trabalho que cada um de nós temos. Eu mesmo, sou compensado financeiramente trabalhando para o exterior do que no mercado nacional. Então conseguir retorno fincanceiro e espaço no mercado nacional, é um grande desafio.

Olhando para trás em sua carreira e seguindo sua trajetória profissional até o momento atual, quais vc diria que são as características ou atributos fundamentais que um artista precisa ter para ter êxito?


Ótima pergunta, e confesso que nunca parei pra pensar até o momento. Mas vamos lá. Alguns deles, na minha visão:


Conhecimento: Eu acredito muito, que ninguém chega a lugar nenhum sem conhecimento, ou se chega em algum lugar por algum motivo, dificilmente irá se manter. Conhecimento molda, conhecimento faz o indivíduo evoluir, faz uma sociedade evoluir. E é causa e efeito, seu conhecimento dita sua qualidade, sua qualidade dita sua competência, sua competência, dita seu sucesso. O quanto você conhece da sua área?? O quanto você domina sua área de atuação?? Conhecimento é essencial.


Estudo e prática também se encaixa, Estudo e prática fortalecem o seu talento. Não basta só ter conhecimento, tem que excercitar. Repetição com correção leva a perfeição.

Coragem: Tem que ter coragem, porque não vai ser fácil, NÃO É fácil. Eu enfrentei e enfrento muitos desafios, e vai ter dias que a vontade de desistir é gigante, vai ter dias que a zona de conforto vai parecer melhor, e sempre parece melhor...mas só parece. Tem que ter coragem de mostrar seu trabalho, tem que ter coragem para se expor, tem que ter coragem para falar do seu trabalho...não seja covarde.


Seja bom, e tenha bons relacionamentos: NETWORK é extremamente importante, ter contatos na arte, é indispensável. Comigo foi e é assim, muitos feitos na minha carreira, foi graças aos contatos certos que fiz durante minha caminhada. E artistas precisam se unir, precisam viver em comunidade, se para um grupo já é difícil...imagina sozinho. Só eu vou até mais rápido, mas acompanhado eu vou mais longe.


Invista: Existe uma frase, que é creditada ao Henry Ford - não sei se é mesmo dele - mas li certa vez e achei interessante: "Se eu tivesse um dólar, eu investiria em marketing" Sim, é um frase que tem um teor empresarial, mas veja bem. Eu acredito que um artista precisa se ver como uma empresa, seu nome é sua marca, e ele precisa vender seu trabalho, precisa vender sua marca. Então investir no seu trabalho, e investir de maneira correta. Isso não vai garantir seu sucesso, mas pelo menos, será um combustível muito forte. Minha carreira teve e tem todos esses atributos e por último, um pouco de SORTE não faz mal a ninguém.

Que conselhos ou sugestões vc daria para alguém que está apenas começando a dar os primeiros passos no mundo da Arte?


Faça todos os dias, no caso de um pintor, pinte todos os dias (isso serve para qualquer área artística)

Não pare, simplesmente não pare de fazer o que ama, mesmo que o artista não viva financeiramente disso. O artista pode não colocar a comida na mesa com sua arte, mas seu oxigênio sempre será a arte. Estude, pratique todos os dias, tenha referências, estude os grandes, faça contatos, divulgue os trabalhos, não se preocupem se está melhor que o fulano - até porque na arte não existe o melhor, sua arte sempre irá tocar mais um do que o outro. É relativo. E por último corra atrás, o famoso METE A CARA, e não tenha medo. Até porque, quando se está começando não há ninguém atrás de você. Já está no marco zero, é daí pra cima. Não há nada a perder.

Onde mais vc quer chegar? Nos conte mais sobre seus planos, sonhos ou projetos para o futuro!

Quero chegar no coração das pessoas! Oh, me parece muito romântico, né (risos)? Mas é simples, quanto mais pessoas eu atingir, mais realizado eu vou ser. E para isso tenho muitos planos, MUITOS planos, e muitos projetos. Eu tenho planos de expor na Europa, e quero muito que essas exposições eleve meu nome, porque quero chegar em vários lugares, e visualizar as possibilidades, e como tenho planos grandes para projetos grandes que envolve uma junção de música, cinema e pintura, eu sei que isso agraga o financeiro, e meu crescimento é essencial para esse retorno. Estou estudando muitas possibilidades e trabalhando duro, pois planejo também levar minha arte para grandes centros, já consegui São Paulo, pretendo retornar para algo maior, mas quero chegar a outros polos como Nova York e Paris, até Berlim.


Um dos meus projetos para o fututo, revelando em primeira mão, é fazer uma expo imersiva audiovisual. Onde vou criar uma série de pinturas, essas pinturas serão representadas com apresentações teatrais filmadas e exibidas numa exposição junto com as pinturas originais, uma espécie de videoart. As pessoas poderão ver as obras ali na frente delas ao mesmo tempo que contemplam elas em movimento e com som, numa tela.

Fora que estou trabalhando em quadrinhos que em breve serão lançados, estou escrevendo um livro juntamente com um amigo escritor e trabalhando para realizar um curta metragem animado em stop mortion.

Sei que tudo isso, talvez, para quem não me conhece pode parecer tudo muito distante e magalomaníaco, mas...eu gosto de pensar que se eu tenho a ousadia de sonhar... eu posso realizar.


Conheça mais o trabalho do artista visitando aqui



Novidades
Posts recentes
Visite nossa página:
  • Facebook Long Shadow