Patricia Melro: "A arte para mim é um ato de amor, é a busca pela transcendência, é onde encontro...


Nascida em Maceió, Alagoas, no ano de 1961, a artista Patrícia Melro se interessou pelo universo das artes ainda na infância, admirando sua avó paterna sempre em frente ao seu cavalete. Em 1985, formou-se em Arquitetura e Urbanismo pela Universidade Federal de Alagoas e durante mais de 30 anos dedica-se também à profissão de arquiteta. Autodidata em suas criações, sua arte não se prende à regras e nem técnicas pré-estabelecidas. A artista faz aquilo que sua intuição manda e essa liberdade pode ser sentida em suas obras.

Esse mês conseguimos conversar com a artista e compreender melhor sua forma de enxergar a vida, em um aprendizado constante, no qual sua arte se transforma em uma verdadeira ferramenta de prática espiritual, um portal sagrado de encontro com o Divino.

Quem é Patrícia? Para aqueles que ainda não te conhecem, como você se descreveria, como pessoa e como artista?


Quem sou EU? De onde vim? Para onde vou? Qual a minha missão de alma? Esta sou EU, alguém que sempre está em busca do sentido da vida, dos valores espirituais e aperfeiçoamento constantes.

Sou arquiteta de formação há 35 anos e artista plástica, autodidata, de coração. A arte para mim é um ato de amor, é a busca pela transcendência, é onde encontro meu equilíbrio.

Como a Arte entrou em sua vida ou como vc iniciou no caminho da Arte?


A arte sempre fez parte da minha vida, nasci em uma família de artistas que não fizeram da arte profissão, mas se completavam nela. Cresci admirando minha avó e meu pai que tinham na arte seus momentos de paz. Logo cedo comecei a seguir seus passos e movida pela curiosidade fui buscando minha forma de expressão artística.

Para você o que é Arte?


A arte para mim é um tesouro que sempre esteve guardado no meu coração, esperando o momento certo de ser revelado.

Por que escolheu a Arte como forma de se expressar? Fale um pouco sobre suas influências e suas inspirações


A arte faz parte do meu SER, ela me escolheu, através dela expresso como vejo a vida. Quando estou criando sinto uma conexão com o Divino, algo mágico. As imagens chegam e me deixo ser levada, não planejo nada, simplesmente flui.

Em que consiste seu trabalho hoje?


Minhas obras são abstratas, pois acredito que elas agem no inconsciente de cada observador, as imagens fluem diferentes para cada um e é aí que vejo sua riqueza.

Como a pandemia e a questão do isolamento social que está acontecendo neste ano de 2020 estão afetando o seu processo criativo?


A pandemia só tem fortalecido a minha fé. O confronto com o sofrimento nos leva a refletir que nada vem ao acaso, a humanidade precisa despertar, estender a mão ao próximo, entender que somos todos UM. Hoje sentimos na pele nossa fragilidade e a natureza grita por cuidados. Senti necessidade de expor estes sentimentos na minha arte e o isolamento me deu a oportunidade de desenvolver novas formas de expressão.

Quais vc diria que foram ou ainda são seus grandes desafios para trabalhar e viver de Arte aqui no Brasil?


Acho que a principal dificuldade que existe no Brasil é a cultura de que o artista não consegue viver de arte, que precisa ter um emprego paralelo para se manter, cresci ouvindo e acreditando nisto.

Olhando para trás em sua carreira e seguindo sua trajetória profissional até o momento atual, quais vc diria que são as características ou atributos fundamentais que um artista precisa ter?


Não ter medo, saber ouvir o coração e seguir a intuição. Ousar, não se limitar ao que aprendeu.

Que conselhos ou dicas vc daria para alguém que está apenas começando a dar os primeiros passos no mundo da Arte?


Tenha coragem para correr atrás do seu sonho. Viva criativamente e se lance nessa busca. Tenha sua própria linguagem artística, sua forma de expressão. Coloque sentimento em tudo que faz!

Onde mais vc quer chegar? Nos conte mais sobre seus planos, sonhos ou projetos para o futuro


A única coisa que sei é que não quero parar! Estou chegando aos 60 anos e nesta altura a vida passa a ter um outro sentido. Me sinto completamente livre, não me cobro mais como antes, pois agora tenho maturidade e tempo para criar. Enquanto a vida me permitir, quero ampliar ainda mais minha linguagem artística e ser feliz me dedicando ao que me fascina.

Para conhecer mais trabalhos da artista visite aqui!



Novidades
Posts recentes
Visite nossa página:
  • Facebook Long Shadow